Coren/SE, MPE e outros fiscalizam UPAs de Aracaju e constatam caos


26.02.2014

Uma fiscalização surpresa foi realizada na noite do último dia 25 de fevereiro, nas unidades de saúde de Aracaju, a UPA Fernando Franco, Zona Sul e UPA Nestor Piva, Zona Norte, pelo Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe, com a presença do vice-presidente do Coren/Se José Flávio Pereira da Silva, o conselheiro Márcio Barbosa Silva, e a enfermeira fiscal Daniela Miranda, acompanhados pela promotora do Ministério Público Estadual, Euza Missano e ainda representantes do Conselho Regional de Medicina e do Sindicato dos Médicos de Sergipe. Dentre as irregularidades encontradas as situações mais preocupantes estão a falta de medicamentos, de equipamentos de trabalhos, condições estruturais.

Tanto que, devido aos problemas mais críticos, o plantão da unidade Nestor Piva foi fechado, mesmo com a presença de toda a equipe de saúde para atender, pois estavam sem a mínima condição para prestar a assistência.

Segundo informações dos profissionais presentes e ainda, constatado pela equipe do Coren/SE há ausência de materiais indispensáveis na assistência, como equipamentos de EPI, luvas de procedimentos, luvas estéril, máscara N95, equipo macro gotas, máscara para nebulização, umidificadores, tensiômetro entre outros. as questões físicas, a unidade continua sem mudança desde a última fiscalização do Coren/SE, em 2013, quando foi notificada para que fossem feitas as alterações evitando problemas de ordem estrutural.

E ainda estão sem funcionar o ECG portátil, que está quebrado, impossibilitando diagnóstico médico, o aparelho de Raio – X portátil e USG também sem condições de uso. Pacientes em macas sem colchão, lençóis e sem grade até mesmo as poltronas onde ficam alguns pacientes em péssimo estado de conservação. Vale ressaltar que os profissionais presenciam constantemente a presença de animais roedores nas dependência da Unidade foco constante de contaminação.

Entre todas essas informações negativas, há ainda a ausência de medicamentos, para prestar o tratamento aos pacientes e que muitas vezes, os próprios familiares compram para dar início ao cuidado. Os principais medicamento em falta na unidade e de suma importância no restabelecimento da saúde do paciente são os antibióticos, os anti hipertensivos, broncodilatadores, e outros que são fundamentais para as necessidades básicas de um hospital.

A população, em muitas vezes, dependente do SUS, não tem condições de manter seus familiares em hospital privado e se depara com hospitais públicos sem condições de manter um tratamento adequado

Vale ressaltar que a Secretaria Municipal de Saúde é conhecedora de tais fatos, pois já foi orientada pelo Coren/SE, por diversas vezes através de relatórios e notificações jurídicas e administrativas.O problema ainda persiste, chegando ao extremo do caos que se instalou e fora constato após essa fiscalização.

Enquanto o Coren/SE esteve presente nas unidades, a secretária Municipal de Saúde de Aracaju, Leane de carvalho esteve in loco para ver a situação que se instalou. Ela informou que vai tomar as devidas providencias para que seja restabelecida a ordem o mais urgente possível. 

DSCF8083DSCF8085 DSCF8088DSCF8092 DSCF8094DSCF8075

Compartilhe

Outros Artigos

Receba nossas novidades! Cadastre-se.


Fale Conosco

 

Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe

R. Duque de Caxias, 389 - São José, Aracaju - SE, 49015-320 (Entrada pela Rua Vila Cristina)

(79) 3225-4000 (Whatsapp)

atendimento@coren-se.gov.br


Horário de atendimento ao público

De segunda a sexta, das 08h às 16h